2012_UM NOVO AJAW.

 

(de saga em saga)
1º Semestre 2013

Parte II. Realizações Pessoais Literárias

Era para dizer realizações profissionais, ou actividades profissionais desenvolvidas, por este vosso modesto escriba, mas isso seria faltar á verdade e á realidade dos factos. Sou dum tempo em que havia gente séria a tempo inteiro e com dois palmos de vergonha na cara. Hoje esta espécie está em vias de extinção. Por isso julgo que apesar de tudo é sempre melhor uma má verdade a uma boa mentira. Daí que tudo o que semeei e colhi, nesta seara da escrita e literatura, o tenho sido feito a título meramente amador. Porque não sou, não sou, “profissional liberal intelectual” da escrita. Correcção, ainda não o sou, como uma vez disse um mestre Zen que um dia passou na estrada da minha vida. Sempre gostei de escrever. Sempre gostei de ler. Não sei qual destes gostos eu gosto mais. Sei que para escrever um centímetro de letras tenho de ler quilómetros delas para a escrita ser posteriormente possível. Viajámos e ainda viajamos por esse Mundo a fora. Sempre fiz e faço, Diários de Viagens, de todas as nossas partidas e chegadas, de modo a poder guardar para a posteridade memórias de pessoas e locais que me/nos encheram o coração de alegria e felicidade. Posteriormente, baseado nesses meus diários de viagens, arranjo matéria para escrever alguns artigos e textos de viagens que posteriormente envio para algumas revistas e jornais da especialidade. Para meu deleite alguns deles mereceram honras de edição. Uns em papel. Outros no digital. Todos aqueles que leram esses meus textos estiveram todos de acordo num ponto: ao lerem os artigos os leitores sentem-se transportados para os locais narrados nos textos e, nalguns casos, não raras vezes, ao lerem os artigos julgaram sentir os cheiros e odores, bem como sons, desses mesmos locais e pessoas. Sei que tudo isto me parece uma gota de água no Oceano. Por vezes parece que estou a nadar contra a corrente. Ao contrário do orgulhoso que prefere perder-se a perguntar qual é o caminho, eis pois algumas colheitas das minhas searas para humildemente vos perguntar se este caminho também poderá ser a direcção certa do meu Norte? Eis pois as colheitas:

Foto 013, Manhã de 2003-08-15, Rolo ID873-331, bebendo Água de coco, em Arraial d' Ajuda, Bahia, Brasil

Foto 013, Manhã de 2003-08-15, Rolo ID873-331, bebendo Água de coco, em Arraial d’ Ajuda, Bahia, Brasil

http://fugas.publico.pt/DicasDosLeitores/317666_o-meu-mundo-em-sidi-bou-said

(Revista Fugas, Jornal Público, 10-03-2014)

http://fugas.publico.pt/DicasDosLeitores/320077_uma-visita-a-casa-de-anne-frank

(Revista Fugas, Jornal Público, 18-05-2013)

http://fugas.publico.pt/DicasDosLeitores/322143_o-silencio-das-areias

(Revista Fugas, Jornal Público, 28-06-2013)

O meu reconhecido obrigado ao jornal Público mais concretamente à sua revista Fugas, bem como a todos os seus colaboradores, pela possibilidade que me deram de vos dar a conhecer o meu Mundo. Nem melhor nem pior que outros que há por aí. Apenas o meu Mundo.

“Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota…”

(Anjezë Gonxhe Bojaxhiu, mais conhecida como Madre Teresa de Calcutá, Macedónia 1910 – Calcutá 1997)

Anúncios
Categories: 2012 UM NOVO AJAW | Etiquetas: , | 4 comentários

2012_UM NOVO AJAW.

Sahara_Tunísia_Oásis de montanha

Foto nº 377, manhã de 25-08-2006, no Oásis de Chebika _ Tozeur _Tunísia.

(de saga em saga)

1º Semestre 2013

O primeiro semestre de 2013 foi um semestre de farta colheita cultural e profissional. Tudo sendo possível graças às mais variadas pessoas que me ajudaram, algumas delas ainda hoje não sabem o quanto me ajudaram, e graças, porque não, a mim mesmo por em boa altura ter ouvido as palavras de um grande ser humano de seu nome Mahatma Gandhi:

“Aprenda como se você fosse viver para sempre. Viva como se você fosse morrer amanhã.”

Tanto lavrei e semeei, por vezes em áridos e estéreis campos, que por vezes duvidei. Confesso que duvidei de mim mesmo. Quem diz a verdade não merece castigo. Por isso tive de me reinventar e fui aprender. Como se fosse imortal e vivesse para sempre dediquei-me, feito um “doido” aos estudos académicos. Ainda hoje penso como é que eu consegui descobrir forças para tal quando eu julgava que já não as tinha. E, como de “porrada” não estou nem sou farto, dediquei-me á escrita que, modéstia á parte, julgo ser aquele melhor “metier” em que corro sem me cansar. Mas, qual masoquista de Sade, como se esta porrada toda ainda não fosse suficiente, ainda fui lavrar e semear outra seara para possibilitar a edição de uma obra literária da minha lavra.

Vamos então lá por partes como dizia Jack o Estripador e se me permitem a ironia:

Parte I. Estudos Académicos

Colheitas das minhas searas:

Em 2013-04-05 obtive a Certificação Nº35-2013_QREN 0538 Em Inglês Concepção e Promoção

Em 2013-05-07 obtive a  Certificação Nº 204-2013 QREN 0531 Em Inglês Acompanhamento Avaliação

(O meu reconhecido obrigado ao GIP Sobreda e a todos vós membros do English Club pela ajuda que me deram)

Em 2013-06-13 obtive a Certificação Nº 1981-2013_QREN 5427 Em Legislação Laboral Contrato Trabalho Direitos Individuais.

Em 2013-06-13 obtive a Certificação Nº 1981-2013_QREN 5428 Em Direitos Coletivos e Relações Coletivas de Trabalho.

Em 2013-06-13 obtive a Certificação Nº 1981-2013_QREN 5429 Em Direitos, Normas Internacionais e Comunitárias aplicadas ao Trabalho e Carta Direitos Sociais.

Em 2013-06-13 obtive a Certificação Nº 1981-2013_QREN 5430 Em Negociação Coletiva e Mediação Laboral.

(O meu reconhecido obrigado ao IEFP CFP Seixal e a todos vós membros do Legislação Laboral pela ajuda que me deram)

Quero com isto tudo dizer que consegui, na proveta idade dos 50, concluir o ensino secundário, o “nosso” 12º Ano, vivendo cada dia como se fosse morrer amanhã. No fundo descobri que sou, como dizia o outro, um animal sentimental.

Categories: 2012 UM NOVO AJAW | Etiquetas: , | 4 comentários

2012_UM NOVO AJAW.

(continuação da saga)
2º Semestre 2012

“Porque há o direito ao grito, então eu grito”
(Clarice Lispector, escritora e jornalista ucraniana, 1920-1977)

Em Julho de 2012 veio o meu veredicto final: o Labirinto do Desemprego. Um caminho cheio de percursos manhosos com a finalidade de desorientar quem o percorre. Ao fim de 28 anos actividade profissional, ininterruptos, o prémio foi o desemprego.
Qual espada de Dâmocles ele foi fulminante sobre o nosso pescoço. Meu e de muitos e muitos companheiros de armas, de fortuna e de infortúnio.
Foi então um tempo de parar, escutar, olhar e atravessar a rua em direcção a novos rumos.
Qual náufrago agarrado em alto mar a uma tabuinha a primeira coisa que fiz foi seguir os estudos académicos. Voltar á escola….e hoje eu reconheço que valeu a pena. Pelo menos valorizei-me sempre mais. Depois foi tentar seguir os meus sonhos. Escrever. Sobre mim. Sobre o Mundo. Escrever. Escrever sempre.
Foi nesta altura que conheci Tiago Salazar. É da mais inteira justiça reconhecer publicamente que, (pelo menos assim eu o penso agora), foi das pessoas que eu conheci ao longo da minha vida, fora do circulo familiar, que valeu mesmo a pena conhecer. E olhem que eu já sou cinquentão. Tive Cursos e Workshops de Escrita de Viagens com este amigo (um amigo é a família que a gente pode escolher, alguém me disse um dia) e que me ensinou e motivou a seguir os meus sonhos: escrever sobre o Mundo que vi. Nem melhor nem pior que outros Mundos que vi por aí. Apenas e só sobre o meu Mundo. E seguindo a máxima de insista, persista e nunca desista, consegui escrever alguns simples e modestos textos de viagens que se publicaram em alguns órgãos de Comunicação Social. Tive sorte. Mas a sorte continua a dar-me muito trabalho: Para escrever uma frase de “centímetros” tenho ler quilómetros e quilómetros de frases.

2007_Turquia.

Foto nº 0102, Manhã de 20-08-2007, nos Jardins da Mesquita Azul e Hagia Sophia_Istambul_Turquia.

Foi então que iniciei, até fins de 2012, a caminhada para editar em livro algo da minha lavra.
Depois de umas férias de verão, que eu já não tinha há mais de trinta anos, voltei à escola e à escrita. Porque se há o direito ao grito então ESTE É O MEU GRITO. Obrigado e eternamente em dívida para a Ana e Andreia. Eternamente grato a ti Tiago. Porque a amizade não tem de ser perfeita. Basta ser verdadeira.

Categories: 2012 UM NOVO AJAW | Etiquetas: , | 2 comentários

2012_UM NOVO AJAW.

2012_Um novo Ajaw.
Segundo a profecia do povo maya, de um dos seus calendários da contagem dos tempos, o “nosso” 21-12-2012 não seria o fim do Mundo mas sim o começo de um novo ciclo. Um novo Ajaw, palavra maia para ciclo, ou Sol. Nesse dia acabaria o Kajib Ajaw, quarto ciclo de vida, ou quarto Sol, e começaria um 5º ciclo de vida, o Job Ajaw, ou mais místico ainda, o nascer de um 5º Sol.
O meu Ajaw começou logo em Janeiro desse ano.

Roma_Itália_2012-08-16


0032_20120816_T_Recepção do hotel_Hotel Stª Constanza_Viale XXI Aprile,4_Roma_Itália.JPG

1º Semestre 2012
Ao fim de 28 anos ininterruptos de actividade profissional tomei conhecimento na pele da palavra “lay-off” em Janeiro de 2012. Confesso-vos que nunca tinha ouvido tal palavra na minha vida e no entanto parece que ela, na altura, já tinha uns anitos bons.
6 Meses em casa em regime de lay-off a receber, valha-nos isso, verdade se diga, a receber, dizia eu, um salário parcial, muito parcial e muito abaixo do desejado, e sempre á espera do “que há-de vir”. Mas do mal, o menos. Tive sorte. Portei-me bem no passado e foi isso que me valeu. Mas a sorte que tive deu-me muito trabalho. Era para dizer outra coisa mas a palavra trabalho pareceu-me bem.
Neste hiato temporal ouvi uns. Ouvi os outros. Falei com uns, com outros e comigo. E decidi. O que para uns pode ser uma fatalidade, para outros, como eu pensei, pode ser uma nova janela de oportunidades. Quem não quer fazer nada inventa uma desculpa e quem quer fazer algo inventa um meio. E eu, confesso, não vivi, não vivo e não viverei de desculpas.
Descobri forças desconhecidas e outras que pensava já não ter. E saiu-me do pêlo do corpo. De entre tantas coisas que decidi, estudar novamente foi uma delas. Diz o ditado que quem não arrisca, não petisca.
Segundo o portador do lótus branco, o actual Dalai Lama, aprender é uma luz que dissipa a escuridão da ignorância.
Hoje, Janeiro de 2014, partilho orgulhosamente com todos vós a 3º certificação dos meus estudos da Língua Inglesa em Relações Laborais Aprofundamento. E em Fevereiro de 2014 já estou “matriculado” para o IV Nível. Sei mais que ontem e menos que amanhã. Tenho de continuar.
Love you all.

(2014-01-31 20:35)

Categories: 2012 UM NOVO AJAW | Etiquetas: , | 6 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: